domingo, 1 de junho de 2008

Avenida 3 x 3 Farroupilha

01.06 - Avenida 3 x 3 Farroupilha
_
Como já era esperado, foi realmente uma batalha. Uma equipe no 5º lugar, vindo de derrota e precisando se reabilitar em casa. Outra, saindo de um empate, querendo pontuar para se aproximar do grupo de classificados. Assim, Avenida e Farroupilha travaram um dos jogos mais espetaculares da Segundona Gaúcha de 2008. A equipe de Santa Cruz, jogando em casa, foi ao ataque logo nos primeiros minutos. O goleiro Fernando teve que trabalhar cedo. Tanta insistência, culminou no gol de Marciel, aos 12 minutos do primeiro tempo. Mesmo em desvantagem no placar, o Farroupilha demorou para acordar na partida. E foi aproveitando os espaços do Fantasma, que Luciano Corrêa marcou o segundo do Avenida, no último minuto da primeira etapa.
_
No intervalo, o Farroupilha tentou se acertar e voltou mais ofensivo. Uendel foi derrubado pelo goleiro Márcio na área, e o juiz nada marcou. No lance seguinte, Adão fez falta no goleiro Fernando, o juiz não marcou falta, e o próprio Adão deu o terceiro golpe no tricolor, aos 28 minutos: 3 a 0 Avenida. De nada adiantou reclamar. Mesmo com a irregularidade no lance, o gol foi validado. Já eram passados mais de 30 minutos da etapa final, quando Uendel fez o que poderíamos chamar de "gol de honra". O que os torcedores de Santa Cruz não esperavam é que - um minuto depois - após jogada na linha de fundo de Tiago Boiadeiro, Matão marcaria o "gol da esperança". O jogo seguiu brigado, com o Avenida tentando de todas as formas garantir a vitória, e o Fantasma em cima, em busca do empate. E o empate chegou, aos 42 minutos. Otávio chutou a bola de longe, o goleiro não segurou e Fábio Alemão teve que cabecear duas vezes para fazer o "gol do alívio".
_
Um Farroupilha determinado, querendo pontuar, disposto a buscar a classificação nas condições mais adversas estava em campo. E só não fez o gol da virada com Manga - o "gol da felicidade" - por um detalhe. Mas a essa altura do campeonato, com as circunstâncias apresentadas, o empate já era ótimo resultado, e a alegria podia ser vista em cada rosto de cada atleta tricolor. Um resultado excepcional. Não faltou raça, não faltou determinação. O Farroupilha voltou com dois pontos na bagagem em seu tour pela região do Vale do Rio Pardo, tendo a honra intacta, a esperança sempre presente e o alívio como um aliado. Nesta quarta-feira, contra o Rio Grande, no Nicolau Fico, a procura pela vitória será ainda mais determinada. Espera-se que todos os gols sejam de felicidade, e que o Fantasma possa comemorar mais uma vitória, rumo à classificação!
_
O Farroupilha jogou em Santa Cruz do Sul com: Fernando; Flavinho (Gil), Guilherme, Neto e Otávio; Luis Fernando, Vágson (Tiago Boiadeiro), Uendel, Élton Corrêa (Fábio Alemão), e Manga; Matão. Técnico Alberi Rodrigues. Vágson, Flavinho, Luis Fernando, Manga, Fernando e Fábio Alemão receberam cartão amarelo. Marciel, do Avenida, recebeu o cartão vermelho. Para o jogo de quarta-feira, diante do Rio Grande, Vágson e Flavinho cumprem suspensão. Igor retorna ao time.
_
Confira os gols da partida histórica em Santa Cruz.
_
video
_
Caso o vídeo não reproduza, clique aqui para vê-lo no Youtube.
_
FALA, TREINADOR!
_
No fim da partida, o técnico Alberi Rodrigues ressaltou os problemas enfrentados pelo Fantasma durante o jogo. "Jogamos contra todos, contra o time e contra a diretoria deles. Um jogo complicado de se jogar. Quando eles fizeram 2 a 0 sumiram os gandulas do campo, ficaram só duas crianças e sumiram todas as bolas. Os diretores deles esconderam as bolas, isso é a coisa que mais indigna a gente. Isso não é futebol profissional em nenhum lugar do mundo", desabafou. Alberi também elogiou a equipe, que teve muita raça e determinação para arrancar o resultado de um adversário forte, e que jogava em casa. O treinador afirmou que o time teve coragem.
_
"O Avenida reclamou de uma falta que houve lá (Boca do Lobo) no jogo diante do Pelotas, e eles vieram jogar com toda raiva contra o nosso time, que não tem nada a ver com a situação. Bateram, deram cotovelada e socos nos nossos jogadores, pressionaram a arbitragem, fizeram tudo o que quiseram, mas Deus é justo e recompensa quem trabalha muito como a gente trabalha (...) Tô feliz com a reação do time. Isso é uma vitória de todos eles. O que eu fiz taticamente não precisa nem ser mencionado, mas o que eles fizeram, a garra que eles colocaram, é pra dar orgulho a qualquer pessoa em ser treinador desse time", completou. Na próxima partida, Alberi Rodrigues enfrenta seu ex-time, no estádio General Nicolau Fico. No jogo deste final de semana, o Rio Grande conseguiu a primeira vitória desde que Alberi deixou o comando técnico da equipe. Sem Alberi Rodrigues, o Rio Grande venceu uma partida, empatou duas e perdeu três.
_
Clique aqui para conferir a classificação da Segundona Gaúcha.
_
Fotos: Rodrigo Asmann - Gazeta do Sul

Um comentário:

gerson disse...

Dá-lhe fantasma. Que reação espetacular!