sábado, 14 de junho de 2008

Farroupilha 3 x 2 Riograndense

14.06 - Farroupilha 3 x 2 Riograndense
_
Um dia para ficar na memória de todos os torcedores e jogadores do Grêmio Atlético Farroupilha. Um dia para marcar a superação de um grupo, que jogou pela sua dignidade. A tarde de sábado no Nicolau Fico foi marcada por uma vitória de virada que impediu a festa do Riograndense no Fragata. Afinal de contas, como Alberi Rodrigues fez questão de dizer várias vezes no vestiário, "aqui é a nossa casa, ninguém vai fazer festa aqui!". E ninguém fez. Antes da partida começar, uma foto do grupo que estava escalado para o jogo, para recordar a família formada no Nicolau Fico, em 2008. Janir, Donizete, Schumacher, Neto, Brochi, Nei, Alberi, Flavinho, Fernando, Guilherme, Vágson, Róger, Éber, Diogo, Xaxo, Tiago Boiadeiro, Luis Fernando, Fábio Alemão, Élton Corrêa, Uendel, Igor, Manga, Otávio, Baixinho e Ted.
_
Com a bola rolando, um jogo duro, típico de Segundona Gaúcha. A primeira oportunidade de gol saiu dos pés de Fábio Alemão. Ele recebeu na área, deu um giro por cima do zagueiro e chutou quase que de voleio, mas a bola subiu e passou por cima. O lance deu ânimo ao Farroupilha, mas o Riograndense foi quem marcou. André Tereza - desta vez escalado regularmente - recebeu na entrada da área e chutou forte, encobrindo o goleiro Fernando. A torcida de Santa Maria presente no Nicolau Fico fez a festa. E com razão. O Riograndense marcou o gol e seguiu melhor na partida. Aos 32 minutos, uma bola bem trabalhada pela esquerda acabou nos pés de Alfinete. O camisa 9 só não marcou o segundo gol porque o goleiro Fernando conseguiu se recuperar no lance e fazer grande defesa.
_
Logo em seguida, aos 33, Fábio Alemão disputa na corrida com o meio-campo, dá um balãozinho no zagueiro, mas é travado na hora do chute. Aos 37, novamente Alemão quase marca. Depois da cobrança de falta de Élton Corrêa, ele sobe sozinho e cabeceia, mas o bom goleiro do Riograndense faz milagre, espalmando do jeito que deu e mandando a bola pela linha de fundo, por cima da meta. O Farroupilha não desistiu, e quase empatou aos 44 minutos do primeiro tempo, com Flavinho, mas o primeiro tempo ficou mesmo com vitória parcial da equipe de Santa Maria. No intervalo, os jogadores novamente se determinaram a buscar o resultado. Os torcedores de Santa Maria comemoravam o resultado, que até então estava classificando o "Gandense", como eram chamados os visitantes, no Nicolau Fico.
_
Na segunda etapa, o tricolor foi pra cima desde o início. Igor mandou a bola na direção de Uendel, que escorou para Manga, que foi derrubado pelo zagueiro. Pênalti marcado pelo árbitro, e convertido por Élton Corrêa, que marcou o seu nono gol pelo Fantasma na competição. Aos oito minutos, o auxiliar de arbitragem tentou estragar o jogo. Manga recebeu - em condições - de Élton Corrêa, e bateu cruzado. A bola passou por baixo do goleiro, sem tocar em ninguém, sem ninguém na frente do lance, sem nada para atrapalhar, e entrou. O gol da virada do Fantasma foi anulado, com a desculpa de que Uendel - que mal participou do lance - estaria impedido. Lamentável. Mais lamentável ainda, porque dois minutos depois, Juninho Laguna recebeu de Tereza dentro da área e marcou o segundo gol da equipe de Santa Maria.
_
A exemplo do que ocorreu no primeiro tempo, o Riograndense marcou o gol e continuou pressionando. Flavinho, que já tinha cartão amarelo, acabou sendo expulso após cometer falta na intermediária. Com um a menos, o Farroupilha assistiu Juninho Laguna, cara a cara com o goleiro, chutar forte, para grande defesa de Fernando. Mais uma vez o Riograndense chegou. Mais uma vez com Laguna. Aos 21, em boa jogada pela esquerda, ele entrou na área e chutou forte, no ângulo, mas o goleiro Fernando se esticou e fez grande defesa. O capitão Vágson era um dos jogadores mais determinados em vencer o último jogo na competição. E foi dele que partiu o lançamento para Otávio, na esquerda. O lateral mandou a bola pra área, Fábio Alemão escorou de cabeça e Élton Corrêa, o camisa 10, marcou o seu décimo gol: 2 a 2.
_
O Fantasma novamente se ergueu em campo. Aos 28, Igor cruzou para Otávio, que deu um voleio sensacional, obrigando o goleiro a fazer uma defesa espetacular. Tiago Boiadeiro entrou em campo e deu maior movimentação ao ataque tricolor. Aos 39, o atacante perdeu grande chance após cruzamento de Fábio Alemão. A notícia de que o Guarani de Venâncio Aires estava vencendo o Pelotas, obrigava a equipe de Santa Maria a vencer o Farroupilha. No entanto, aos 44 minutos, Fábio Alemão se livra da marcação no meio-campo e lança em profundidade. Tiago Boiadeiro corre com a bola dominada, entra na área, e acaba de vez com o sonho de classificação do Riograndense: 3 a 2. Não havia tempo para mais nada. O Farroupilha encerrou sua participação no campeonato com dignidade, como havia pedido Alberi Rodrigues.
_
Primeiro gol de Tiago Boiadeiro pelo Farroupilha. Primeiro gol de Tiago Boiadeiro como profissional. Em um momento tão significativo, na comemoração, abraçado por Brochi, Fábio Alemão e Luis Fernando, Boiadeiro chorou. O gol da vitória, marcado aos 44 minutos do segundo tempo, coroou a atuação de um time que não se entregou em nenhum momento. Mesmo desclassificado, o Farroupilha encontrou forças para vencer o seu último compromisso pela Segundona de 2008. Para o Riograndense Futebol Clube, que chegou ao Nicolau Fico colocando balões no vestiário e na arquibancada, acompanhado por uma torcida empolgada e pronta para festejar a seqüência no campeonato, restou lamentar a desclassificação.
_
Confira os gols da vitória tricolor no Nicolau Fico.
_
_
Caso o vídeo não reproduza, clique aqui para vê-lo no Youtube.
_
O treinador Alberi Rodrigues deixou o campo muito emocionado. Na entrevista coletiva, Alberi destacou o espírito de grupo da equipe. Ele falou também que na segunda-feira deve conversar com o presidente do Grêmio Atlético Farroupilha, Coronel Ewaldo Poeta, para acertar seu futuro. Ainda há dúvida quanto à participação do Fantasma na Copa RS, no segundo semestre. "O nosso trabalho foi bem realizado aqui no Farroupilha. Todo mundo tem que respeitar a gente. Ninguém tem que vir aqui e armar festa na nossa casa, porque aqui quem manda somos nós", completou. Na descida para o vestiário, os jogadores foram aplaudidos pela torcida, que reconheceu o esforço do time. Do outro lado, na torcida de Santa Maria, os balões e a festa preparados para o fim da partida acabaram murchando, junto com as chances de classificação da equipe.

2 comentários:

Fabrício disse...

Muito bom o post!
Ano que vem o Tricolor estará de volta mais forte ainda! Parabéns ao Coronel Poeta por sua luta incessante no comando do Tricolor, esse sim é um "verdadeiro" coronel!

Anônimo disse...

Thiago Ramis disse....

Muito bom esse post!!!! Concordo com o Fabricio...
Com certeza ano que vem o Farrrapo vai vim mais forte!!!! Basta a Direção trabalha com União e Inteligência... abraços